Plotter: ferramenta agiliza o cotidiano de arquitetos e engenheiros

“A tecnologia e tamanho da plotter nos permite todo tipo de impressão no escritório”, comenta o engenheiro João Paulo Iole.

Impressoras plotter são mais comuns na área de comunicação visual, em especial gráficas especializadas. Porém, com a evolução tecnológica e consequente queda no valor, ela tem se tornado comum em outros espaços. “A possibilidade da impressão de plantas e projetos, aqui no próprio escritório nos poupa tempo e custos”, comenta Rafael Suller, engenheiro de uma construtora paulista.

Impressoras plotter são equipamentos de alto rendimento, ideais para ambientes profissionais, que permitem impressões em tamanho maiores que os modelos tradicionais. Há modelos que trabalham com folhas a partir de A3, com a largura de duas folhas de sulfite. Algumas opções usam o tamanho A0, com cinco vezes a largura do A4, algo em torno de 119 cm de folha continua, que permite ao usuário definir o comprimento conforme a necessidade.

plotter

plotter

A presença da plotter nos escritórios é só a ponta do iceberg. Ao longo das últimas décadas, as inovações geradas pelo desenvolvimento da informática afetaram todas as áreas profissionais. “Nos anos 1970 e 1980, veríamos as ferramentas de trabalho atuais, como máquinas futuristas saídas da ficção cientifica. Para nós, que vivemos a época analógica, o mundo digital de hoje parece coisa de Stars Wars ou Star Trek”, brinca Rubens Cristaldo, professor de hidráulica do curso de engenharia civil da PUC de campinas. “Meus alunos não têm ideia das nossas dificuldades na época”.

Antes de usar a plotter para a impressão do projeto, o profissional desenvolve os desenhos através de softwares como AutoCad ou MatLab. “Os programas nos permitem criar uma planta ou projeto virtual, mais fáceis de produzir e armazenar. Outra vantagem aparece na hora de uma apresentação ou palestra. Através da internet, aquilo criado no seu computador é acessível de qualquer lugar do mundo”, informa o engenheiro João Paulo, também de São Paulo. “E após a produção virtual, a empresa tem a liberdade de imprimir o projeto quantas vezes forem necessárias”, completa.

Rafael Suller, em poucas palavras, descreve bem a importância de ter um equipamento profissional sempre à disposição: “o investimento na plotter é recompensado quando deixamos o conforto do escritório para verificar o andamento das obras. Sem o apoio do computador, é através das plantas que fazemos as análises. É a ponte entre o projeto teórico, desenvolvido meses, ás vezes, anos antes e o mundo real. É uma parte fundamental do trabalho”.