Lojas de conveniência melhoram o atendimento com leitor de código de barras no caixa

O leitor de código de barras está em 90% dos estabelecimentos e previne erros nos preços dos produtos

Ao investirem no leitor de código de barras, as empresas têm um importante aliado na organização de seus produtos, estoques e preços para o consumidor. As vantagens do dispositivo vão muito além da simples consulta de preço do consumidor.

“O uso do leitor de código de barras foi um salto de modernidade no varejo brasileiro. Parece que estávamos na idade da pedra das compras. São situações assim que nos fazem ver como o país era ruim antes do plano real, tínhamos uma defasagem muito grande em todos os sentidos. Mas em tecnologia isso era visível nos automóveis e outros bens de consumo. Aquelas antigas demarcadoras de preço, parecem coisa filme antigo. Hoje, com um único aparelho, o leitor de código de barras, é possível ver o valor de qualquer produto da loja“, diz a estudante de licenciatura em história Lígia F. de Medeiros.

leitor de codigo de barras

O dinamismo do leitor de código de barras combina com o perfil de negócio das lojas de conveniência. Um lugar com um pouco de tudo, mas principalmente aquilo que é essencial ao ser humano, como comida e bebida. Por funcionar além do horário convencional, estes locais se tornaram vitais nas grandes cidades brasileiras, ainda carentes de serviços 24 horas.

“Mesmo morando em São Paulo, apenas na região central há lojas abertas o tempo todo, e mesmo assim apenas nos dias de maior movimento, como as sextas-feiras e aos sábados. É um ponto para um lanche rápido, uma cerveja com os amigos nos fins da tarde. E o atendimento também segue a mesma linha de agilidade, com leitor de código de barras e sistemas de pagamento com cartões de crédito e débito. Algumas lojas ainda contam com serviço de caixas eletrônicos, importantes em caso de emergência e localizados em um local seguro”, comenta o advogado Marcel M. Munis, morador da capital paulista.

Além de consultar preços e faturar os produtos no caixa, o leitor de código de barras é fundamental no controle do estoque das lojas. “Se o sistema for criado de forma integrada, a loja vai ter no leitor de código de barras uma ferramenta de controle perfeita”, diz o professor de logística Hélio J. Martins

Segundo ele, “para isso, os produtos ao serem recebidos no estoque devem ser cadastrados, para que seja possível visualizar quantas unidades estão disponíveis de forma integral. O próximo passo, é criar subcategorias: loja e estoque, para organizar a disponibilidade ao público”.

“Devem ser definidos marcadores. Por exemplo. Uma loja sempre mantém cinquenta barras de chocolates a venda. Conforme os clientes efetuam as compras, e sobram apenas dez barras, um alerta aparece no caixa, para que o produto seja reposto. E algo semelhante acontece no estoque. Quando chegar a margem de segurança, faz-se um novo pedido ao fornecedor”, explica o professor. “A cada dia esta tecnologia é aplicada de forma diferente, e cobrar aquela coxinha com a cervejinha no fim da noite parece ser só o começo de uma longa história”.