Farmácias usam pin pad nos caixas para a leitura de cartões

O pin pad se conecta diretamente ao sistema de vendas das empresas

Com o pin pad, as maiores redes de farmácias do país oferecem aos seus clientes uma forma rápida, prática e segura de poder pagar pelos seus medicamentos e artigos de perfumaria.

“Temos que nos adaptar as necessidades dos clientes, e pagamentos com o pin pad é uma delas. É difícil encontrar quem ainda paga tudo aquilo que compra com dinheiro em espécie. Dos aposentados que recebem do governo federal até aos empresários, todos acabaram se rendendo aos benefícios do dinheiro eletrônico. Já nos adaptamos a essa nova realidade há um bom tempo, mas mesmo assim, no pouco tempo que demoramos para perceber a nova onda, era triste ver o consumidor ir embora sem o produto porque só aceitávamos pagamentos em dinheiro. A implantação do pin pad resolveu o problema”, conta o empresário Jeferson Moreira, dono de uma franquia de uma das maiores grifes de farmácias do país.

O pin pad, faz parte de uma revolução que começou a informatização das empresas. O computador foi incluído dentro dos negócios por seu poder de processamento e controle. Logo, o computador começou a fazer o papel da caixa registradora. O PC permite um controle mais próximo sobre o gerenciamento das informações. E ele admite a conexão de outros periféricos que facilitam outras etapas do trabalho.

pin pad

“Todas as informações passam pelo nosso sistema. E a cada dia buscamos novas formas de incrementa-lo. No recebimento da mercadoria, ela é cadastrada no sistema que controla a quantidade em estoque. No caixa, há uma série de periféricos que abastecem o sistema de dados, como o leitor de código de barras que identifica qual é o produto e seu respectivo valor, a impressora fiscal que fornece o comprovante da compra, e também o pin pad, que através do sistema registra a entrada do dinheiro por meio da conexão com o banco. É como se todos os pontos estivessem cobertos por um único aparelho”, conta Osvaldo Freitas, gerente de tecnologia da informação de uma rede de farmácias. “Nós investimos o máximo para que tudo seja automatizado o máximo possível, facilitando o trabalho das equipes no dia a dia, que podem se forcar em receber bem os clientes”, ele completa.

O pin pad também é uma segurança para quem compra. Os equipamentos são homologados pelas principais bandeiras de cartão de crédito e débito, e efetuam transações através da tarja magnética ou com chip de segurança. A senha digitada é protegida por seis modos de criptografias, adaptável às mais diferentes instituições financeiras.

“Nós sempre vamos a farmácia em uma situação complicada, quando alguém está com dor. E é interessante ver que o empresários trabalham sério para contar sempre com a nossa confiança. Na verdade estamos aqui, para comprar um remédio para dor de cabeça, e não torna-la pior”, brinca o professor aposentado Constantino Suarez.